domingo, 20 de setembro de 2009

Seixal - Africanos violam empregadas de escritório!

A PSP do Seixal apanhou anteontem de manhã, em flagrante delito, dois homens de origem africana, com 20 e 23 anos, quando estes abusavam sexualmente de duas empregadas de um escritório junto ao Centro Comercial da Amora. Segundo o CM apurou, as vítimas têm 23 e 36 anos – uma delas é deficiente – e terão sido confundidas com prostitutas.

De acordo com um segurança da área comercial contígua ao edifício, a dupla tinha estado na véspera no local "à procura de meninas". Voltaram pelas 10h30 da manhã seguinte, mas foram impedidos de entrar pelo porteiro do edifício.

No entanto, os dois começaram a tocar às várias campainhas e alguém abriu a porta do prédio. Dirigiram--se então ao sexto andar, onde bateram às portas com insistência até alguém abrir.

Uma vizinha contou ao CM que duas famílias daquele piso abriram a porta, mas "quando os dois homens explicaram o motivo da visita informaram-nos que era engano".

À terceira tentativa, as duas funcionárias da empresa de trabalho temporário foram surpreendidas. Apesar de negarem que houvesse ali qualquer prática de prostituição, a dupla forçou a entrada e fechou a porta atrás de si. Agrediram as mulheres e violaram--nas. Só foram travados pela PSP, entretanto chamada pelo porteiro. Estão detidos e vão aguardar julgamento em prisão preventiva.

Fonte: Correio da Manhã

sábado, 19 de setembro de 2009

PNR - Oposição Nacionalista!

Como na expressão do grande poeta Rodrigo Emílio, " POR PORTUGAL E MAIS NADA! "

terça-feira, 15 de setembro de 2009

PNR - Á beira da eleição!

Não deixa de ser altamente motivadora a noticia do Jornal “O Diabo”, sobretudo porque faz o cruzamento de todas as sondagens até agora publicadas. No entanto não devemos embandeirar em arco, mas antes pelo contrário continuar o excelente trabalho feito até agora.
A nossa “corrida” é de longa distância, sabendo que os resultados não vão demorar a aparecer, sabendo que a família nacionalista cada vez está mais unida, apressemos o passo até á vitória final, porque em Portugal e na Europa começa a amanhecer.

1ª parte do artigo
2ª parte do artigo

Corroios - Pais boicotam aulas por medo de amianto!

Pais boicotam aulas por medo de amianto“Com a remoção por acabar os nossos filhos não vão estudar!” “Amianto vai causar um milhão de mortes até 2030.” Quem quer que o seu filho faça parte desses números?” É com esta mensagem que vários pais e encarregados de educação iniciaram na manhã desta terça-feira um protesto junto ao portão da Escola 2,3 de Corroios, no Seixal, contra a remoção dos escombros na escola vizinha, Moinho de Maré, que contêm amianto.

Os pais garantem que as obras não estão a cumprir os requisitos de segurança.
“Hoje estamos a fazer uma acção de protesto sobre a remoção de escombros da escola, o que implica técnicas especiais, já que falamos de uma matéria muito perigosa, catalogada na classe 1 dos agentes cancerígenos: o amianto”, referiu Carlos Morais, presidente da Associação de Pais.

Como tal, “os pais não vão permitir que o ano lectivo se inicie, enquanto os escombros da escola do lado não forem retirados, as análises às salas de aulas efectuadas e os valores de partículas de amianto em suspensão no ar reduzidos à normalidade, através da descontaminação e limpeza dos espaços'.

A Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo (DRELVT) garantiu que 'a exigência de cumprimento das regras de segurança condiciona a rapidez dos trabalhos”, estando “a obra de remoção dos escombros a prosseguir normalmente'. Prevê-se que a conclusão das obras “está por dias'

Fonte: Correio da Manhã

PNR - José Pinto Coelho no Prós e Contras da RTP!



sexta-feira, 11 de setembro de 2009

PNR – Noticias da campanha eleitoral!

No próximo dia 14 de Setembro, o Presidente do PNR, José Pinto Coelho estará presente num debate no programa Prós e Contras da RTP1, com os representantes dos Partidos sem representação parlamentar.

No dia 19 de Setembro, será transmitida a entrevista dada pelo Presidente do PNR, José Pinto Coelho, no decorrer do Jornal das Nove da manhã na Rádio renascença.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Autarca do PCP pode devolver 400 mil euros ao Estado!

Uma auditoria da Inspecção-Geral de Finanças à Câmara do Seixal identificou "eventuais infracções financeiras" cometidas pelo presidente, Alfredo José Monteiro da Costa (PCP), por autorizar o pagamento de despesas sem os respectivos suportes legais durante vários anos. O relatório dos inspectores já foi enviado pelo Tribunal de Contas para o Ministério Público.

O presidente da Câmara do Seixal, Alfredo José Monteiro da Costa (PCP), terá de devolver 412 573 euros ao Estado se se confirmarem as "eventuais infracções financeiras" detectadas pela Inspecção- -Geral de Finanças (IGF) em 2008.

Mais um escândalo de Alfredo Monteiro, que poderá ler na íntegra em: Diário de Noticias

domingo, 6 de setembro de 2009

PNR em Alcobaça!

José Pinto-Coelho e João Pedro Amaral

O PNR apresentou ontem em Alcobaça a sua candidatura às eleições legislativas pelo círculo de Leiria, num almoço-convívio que contou com a presença do cabeça-de-lista João Pedro Amaral, militantes locais e dirigentes do PNR, entre os quais o presidente José Pinto-Coelho.
Pelas ruas de Alcobaça

Após o almoço decorreu uma acção de campanha de distribuição de folhetos e contacto com população, sendo a comitiva muito bem recebida pelas pessoas que transmitiram a sua preocupação com o actual estado do país, nomeadamente no que respeita à segurança e ao emprego, e aos problemas da sua região, com ênfase para a agricultura. Muitos demostraram abertamente o seu apoio ao partido, especialmente os mais jovens.
Com os jovens

Festa do Avante - Comemoração do terror soviético!

Começou e está prestes a terminar lá para os lados da Atalaia mais um festival de música onde certamente não faltarão os excessos do costume. A droga não faltará certamente até porque estará presente uma delegação colombiana. Esperávamos que as autoridades agissem em conformidade e montassem barreiras nas estradas que dão acesso ao festival. Esperávamos que centenas de agentes da autoridade rodeassem o recinto onde se realiza a referida festa e interpelassem todos aqueles que para ela se dirigem desaconselhando-os a se juntarem a ela.

Segundo o Avante, podemos confirmar que o PCP volta a convidar o Partido Comunista da Colômbia para estar presente em Portugal na Festa do Avante. O Partido Comunista da Colômbia é um dos braços dos narco-guerrilheiros das FARC.

Estará também presente o Partido Comunista Chinês será certamente para celebrar os constantes atentados aos direitos humanos na China, para celebrar Tianamen ou mais uma vez mostrar solidariedade com a ocupação militar e económica do Tibete. O PC Chinês não deixara de agradecer ao irmão português o contributo dado na descolonização, facto que permitiu que os chineses pudessem agora livremente sugar o sangue dos africanos.

Quem passar pelas bandas da Atalaia deve estar bem atento, afinal não deixarão de estar presentes na festa os “jovens” que o PCP tanto defende.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Jon Dahl Tomasson, chegou e disse!

O "capitão" da Dinamarca , Jon Dahl Tomasson , provocou hoje Portugal , ao acusar, em tom de brincadeira, a equipa das "quinas" de « comprar » Liedson no Brasil para suprir a necessidade de um ponta-de-lança.

« Eles estão necessitados de um verdadeiro ponta-de-lança e então foram ao Brasil comprar um », disse, entre sorrisos, o avançado nórdico.

O jogador dos holandeses do Feyenoord revelou, no entanto, pouca preocupação com o assunto. « Não fazemos isso na Dinamarca, nem no resto da Escandinávia, comparando com o que acontece nos países do Sul da Europa. Mas por mim está tudo bem ».

Tomasson com estas declarações, não de todo provocatórias mas realistas, sublinhou aquilo que actualmente é apanágio na Europa e em mais nenhuma selecção de outro continente...a integração de imigrantes! É inadmissivel, já no campeonato nacional ter equipas portuguesas, onde alinham 2/3 portugueses, mas esta praga chegar à selecção nacional é a roçar os limites da falta de valores e respeito pelos nacionais.

Jovens futebolistas portugueses sao postos de lado, com possiveis carreiras brilhantes em prol destes estrangeiros que nos seus países nunca chegariam a uma selecção sendo remetidos não para uma opção B mas Z, chegam então a uma selecção nacional de um país com o qual não tem nada a ver, seja na lingua, nos costumes, nos traços, na genuinidade.

Carlos Queiroz veio com o chavão tipicamente colocado a comentarios acertados e concretos mas inconvenientes comos os de Tomasson, apelidando de 'racista'.

Porém fechar as portas a portugueses, seja com ou sem qualidade, à selecção nacional do seu país, não é racismo nem tão pouco discriminação, enquanto certos seres que nada tem a ver com a nossa cultura chegam, 5/6 anos depois já tem os mesmos direitos e regalias(ou até mais!) que um nativo que tenha nascido em território nacional há duas ou três décadas. Uma selecção não é um clube, é um grupo de mérito reservado para os melhores jogadores do momento de origem 100% portuguesa, e não um local onde estrangeiros são 'contratados' mesmo que ultrapassando a casa dos 30, para suprir lacunas...

Tiro o chapéu ao Tomasson, e a boa politica de protecção ao 'produto nacional' na Escandinávia e em particular na Dinamarca, essa sim uma nação que luta pela manutenção da sua identidade, da sua cultura e genuinidade num mundo em que este polvo da globalização afecta cada vez mais os países Europeus.

Ai, Portugal, Portugal...

sábado, 29 de agosto de 2009

PNR - Mensagem do Presidente aos Nacionalistas!

Qualquer acto eleitoral representa um grande esforço para os partidos, Tribunais, Juntas de Freguesia…Esforço este, que o comum das pessoas está longe de imaginar. Isto já para não falar no preço que umas eleições custam ao contribuinte e que em muito ultrapassam os exorbitantes 14 milhões de euros gastos pelos partidos na campanha eleitoral.
(...)
A complexidade processual e burocrática necessária à participação numa eleição é por demais absurda e diria mesmo que um convite a que, os partidos desprovidos de máquina e meios financeiros e humanos, desanimem e desistam.

Não se compreende como é possível que na era da informática e da comunicação, do Simplex ou da Loja do Cidadão, coexista um modelo processual e legal tão arcaico que nos faça retrogradar até aos anos 70 do século passado…
(...)
Terminada que está a tarefa titânica das listas eleitorais quero agradecer a todos os que nos ajudaram, viabilizando-as, sendo candidatos e sobretudo aos Cabeças de Lista e Mandatários. A sua generosidade permitiu ao PNR apresentar-se nas Legislativas de 27 de Setembro, em quase todos os distritos nacionais, com as penosas excepções de Açores, Guarda e Vila Real.

Quanto às Autárquicas de 11 de Outubro, marcaremos presença em Faro, pela primeira vez, concorrendo à Assembleia Municipal, em Cascais, para a Câmara Municipal e também aí, pela primeira vez, na Junta de Freguesia do Estoril.

Além destas, também novamente em Lisboa, apostando desta vez mais forte, com a participação, pela primeira vez em simultâneo na Câmara e Assembleia Municipais e ainda nas Freguesias de Marvila, Santo Condestável e São João de Brito.

Com o lema eleitoral, “Por Portugal e mais nada”, pretendemos erguer uma verdadeira “Oposição Nacional” que não encolhe ombros, não se satisfaz com males menores, não vota (in)útil nuns para correr com outros, não desiste e não se abstém.

O PNR é, na verdade a única Oposição Nacional, e com ela, também o protesto útil para todos os que, como nós, sabem que há culpados e quem eles são. Os que vivem do Sistema e dele se servem, são na verdade os culpados e tudo fazem para manter à distância toda e qualquer verdadeira Oposição ou alternativa.

Iludem os portugueses com uma alternância entre semelhantes, entre os que comem da mesma gamela, disfarçada esta de alternativa. Ocupam-se eles em longos debates e discussões que, parecendo profundas discórdias apenas visam a discussão sobre as melhores técnicas de manutenção do poder e dos privilégios, em retóricas estéreis onde se esgrimem estatística e números, acusações mútuas e arremessos de pedras aos telhados de vidro uns dos outros, num festival de promessas mentirosas e lugares comuns, esquecendo o que realmente importa: Portugal e os Portugueses!
(...)
O PNR, não pactua nunca com situações de compromisso com os responsáveis e culpados por décadas de descalabro. Pelo contrário, o PNR vai sempre à luta e apresenta-se como protesto útil e como oposição necessária.
(...)
É nessa mesma lógica e coerência que nos apresentaremos no dia 11 de Outubro a concorrer em Lisboa, como verdadeira Oposição e protesto, não temendo a apregoada ideia da existência de uma unidade à “direita”. Tal conceito grotesco é resultante de 35 anos de lavagem ao cérebro e mentiras que é preciso começar a desmistificar.

O Sistema português é hemiplégico! Aceitando e dando de barato os sempre complicados e artificiais rótulos direita e esquerda, é bom de ver que na Assembleia da República só houve desde o famigerado 25 de Abril até hoje, partidos que vão da extrema-esquerda até ao centro.
(...)
Assim, grosseiramente, para se dar ideia da existência de verdadeiras oposições, criou-se a sensação (mentirosa!) de haver uma direita em Portugal. Há apenas a “direita” que a esquerda permite, a “direita” postiça que em nada difere de um PS senão em alguns situações pontuais para manter aparências.
Essa “direita” que faz o frete à esquerda dominante e é totalmente submissa e complexada, é a direita dos interesses, do capitalismo, dos instalados, dos conservadores. Essa, assim como à esquerda, recusamo-la em absoluto!

O PNR, pelo contrário, defende as bandeiras vincadamente sociais e nacionais. A aceitar a dicotomia direita-esquerda, para utilizar uma linguagem comum - embora distorcida muitas das vezes, sujeita a equívocos e redutora - então somos o único partido de facto da Direita Nacional e Social. Aquela que a esquerda odeia e teme. Aquela que a “direita”, encomendada pela esquerda, odeia e teme.

Ao defendermos as causas Nacionais e Sociais, colocamos a tónica em grandes temas que constituem o nosso manifesto eleitoral: Economia, Educação, Família, Imigração, Justiça e Segurança.

Acerca de todos estes temas fazemos um diagnóstico claro e temos propostas concretas e únicas, quer no conteúdo, quer na forma, quer na determinação e frontalidade com que as defendemos. Propostas radicais e de ruptura. Propostas diferentes e alternativas. Propostas Nacionais!

Somos a verdadeira Oposição Nacional a este Sistema nefasto!
Somos o protesto útil que importa fortalecer!


No dia 27 de Setembro, votar no PNR não é votar nos consensos hipócritas e nos medos cobardes, mas sim no reforço daqueles que pretendem dar corpo à grande Oposição Nacional!

José Pinto-Coelho | 27 de Agosto de 2009

Corroios - Atirada para o meio da estrada!

Luísa Santos parou a carrinha nos semáforos da rua Francisco Costa, no Monte de Caparica, Almada, e em segundos começou o pesadelo. A mulher, de 30 anos, foi atacada por dois homens com uma faca, às 22h00 de quarta--feira, e passou a meia hora seguinte sequestrada no próprio veículo. Sem a mala com o dinheiro e os documentos, acabou empurrada do carro em andamento em Corroios.

Mal os dois assaltantes entraram na carrinha Renault Mégane, Luísa Santos foi tomada por um pânico tal que, ouvida pela polícia, pouco se recorda da dupla de ladrões. "Só sabe que são negros, ambos aparentando 20 anos, e um deles tinha uma faca grande", adiantou ontem ao CM uma fonte policial.

O assaltante que conduzia a viatura dirigiu-se para a Estrada Nacional 10 e depois para Corroios, Seixal, onde, meia hora depois, o sequestro terminou junto às bombas da BP. Luísa foi empurrada da Renault Mégane, com a viatura em andamento. Além do veículo, a vítima perdeu a mala com documentos e dinheiro. Foi com o próprio telemóvel que a mulher chamou a PSP, que a transportou ao Hospital Garcia de Orta para tratamento.

PORMENORES

PSP PROCURA CARRINHA

Agentes da PSP de Corroios ainda tentaram detectar a carrinha Renault Mégane de Luísa Santos, levada pelos dois ladrões. Mas, após várias tentativas, tal não foi possível.

PÂNICO APÓS SEQUESTRO

Quando foi encontrada por uma patrulha da PSP de Corroios, Luísa Santos estava em pânico. Mal conseguia falar e nem uma descrição concreta dos dois assaltantes conseguiu fornecer. A PJ de Setúbal vai investigar o crime.

Fonte: Correio da Manhã

Mais uma obra da falta de patrulhamento e do clima de insegurança que se tem vivido nas últimas semanas nos concelhos de Almada e Seixal...A inércia continua, e a criminalidade cada vez menos olha para trás nas ruas

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Um faroeste á moda do Seixal!

A PSP esteve na noite passada no Bairro da Quinta da Princesa, no Seixal, para responder a um alerta de incêndio em duas viaturas. Terá sido nessa altura que a polícia foi recebida com pedras e pouco depois com disparos, tendo os agentes respondido de forma "proporcional", como indicou entretanto o comando distrital da PSP de Setúbal.

De acordo com fonte da PSP, às 02h30 de hoje uma patrulha chegou às imediações do bairro após um alerta sobre um incêndio em duas viaturas. À chegada ao local, os agentes foram apedrejados pelos indivíduos que terão incendiado os dois carros e que procuraram refúgio no interior do bairro.

Já na Quinta da Princesa, os mesmos indivíduos dispararam contra a polícia, o que levou a que fossem de "imediato deslocados reforços para controlar a situação", como avançou aos jornalistas Bastos Leitão, do comando distrital da PSP de Setúbal. De acordo com o responsável, "perante o grau de violência" com que a polícia foi recebida, a resposta das autoridades foi "proporcional" e os agentes responderam também com disparos.

Já no interior do bairro, a polícia circunscreveu inicialmente as suas operações a um prédio de onde terão partido os disparos contra os agentes. Elementos do corpo de intervenção da PSP continuavam ao início da tarde junto ao edifício.

Bastos Leitão indicou que, até agora, apenas uma pessoa foi detida no seguimento dos incidentes desta noite e que doze outras ficaram referenciadas. Ao contrário do inicialmente avançado, não foram apreendidas armas ou realizadas buscas domiciliárias.

O dispositivo policial foi parcialmente desmobilizado esta manhã, mas no bairro continuam elementos do corpo de intervenção a proceder à identificação das pessoas e viaturas que entram e saem da Quinta da Princesa, até que a situação de segurança seja avaliada.

Fonte: Público

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

PNR entrega listas para as próximas eleições legislativas!

Terminado o prazo de entrega de candidaturas às próximas Eleições Legislativas, o PNR informa que apresentou listas nos seguintes círculos (seguidos do respectivo Cabeça-de-Lista):

- Aveiro - Maria Marques;
- Beja - Simão Varandas;
- Braga - Pedro Frade;
- Bragança - Carlos Marques;
- Castelo Branco - João Vaz;
- Coimbra - Vítor Ramalho;
- Évora - João Coutinho;
- Faro - Rui Roque;
- Leiria - João Amaral;
- Lisboa - Pinto Coelho;
- Portalegre - Caetano Ferreira;
- Porto - Alberto Lima;
- Santarém - Humberto Oliveira;
- Setúbal - Duarte Branquinho;
- Viana do Castelo - André Leite;
- Viseu - Teresa Póvoas;
- Madeira - Vasco Leitão;
- Fora da Europa - Luís Fernandes.


Para a apresentação de todas as candidaturas foi necessária a colaboração directa de cerca de 300 pessoas, às quais deixamos a nossa mensagem de agradecimento, em especial ao nosso Presidente José Pinto-Coelho, que se empenharam nesta enorme tarefa, de recolha de certidões, elaboração e entrega de listas, etc., processo extremamente burocrático e penoso para aqueles que não orbitam nos partidos do sistema.Também por isso, mas por muito mais, é agora necessário apresentar a todos os portugueses a alternativa de Oposição Nacional, encabeçada pelo PNR - Partido Nacional Renovador.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Corroios - Guerra entre comunistas e socialistas

A feira anual de Corroios, que se realiza entre os dias 21 e 30 de Agosto e onde são esperadas cerca de 500 mil visitantes, colocou o PS e o PCP em guerra. O candidato do PS à Câmara Municipal do Seixal, Samuel Cruz, afirma que foi agredido verbalmente por algumas das pessoas que estavam a trabalhar na organização da feira e que contestaram a sua presença no local gritando entre outras coisas "vêm para aqui estes doutores da m...", disse.

Em declarações ao CM, o candidato socialista disse que acabou por chamar a PSP para se queixar "de injúrias e ameaças", acabando as pessoas por ser identificadas no local.

Samuel Cruz deslocou-se ao local para ver qual o espaço dedicado ao PS na feira, assunto que também causou dano na relação entre os dois partidos. Enquanto o espaço dedicado à área política da CDU chega aos 21 metros, as outras forças políticas têm apenas três metros e meio, o que leva o socialista a falar em "incumprimento da lei eleitoral", uma vez que não é dado o mesmo espaço às forças partidárias.

Eduardo Rosa, presidente da Junta de Freguesia de Corroios, que é liderada pelo PCP, refuta as acusações, referindo que "o PCP tem mais espaço porque tem um restaurante-bar e há um espaço dedicado à JCP, e o PS na carta que nos enviou não estipulou o espaço que pretendia". O presidente da Junta de Corroios refere também que coloca "em primeiro lugar aqueles que colaboram todos os anos connosco, o que não acontece com o PS, que só participa de quatro em quatro anos, quando há eleições".

Samuel Cruz refere ainda que na terça-feira, após este conflito, apareceu alguns outdoors da sua campanha destruídos. O candidato socialista é peremptório: "Não acredito em coincidências."

Fonte: Correio da Manhã

Esperemos ver este incidente em destaque no pasquim vermelho (aka Boletim Municipal), com os próximos capitulos desta saga, brevemente...

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Mais uma edição da espectacular feira de Corroios, que não é em Corroios!

E está prestes a começar mais uma edição da feira de Corroios, um marco na vila, pela sua popularidade que foi acumulando ao longo de anos, pelos espectáculos musicais que já proporcionou aos seus visitantes e pela enorme mostra económica inerente a esta feira, que a torna em termos de 'feiras', sem paralelo no concelho do Seixal.

E aqui se faz a distinção entre uma feira e uma festa, festa essa que este ano me foi dada a conhecer por pessoas amigas em Alcochete, aí sim uma tipica festa portuguesa com milhares de pessoas nas ruas pela noite dentro até às 6 da manhã, com constantes espectaculos pirotécnicos, musicais, artisticos, cortejos de fanfarra e como é obvio espectáculos tauromáquicos, com as tipicas largadas de toiros no coração desta cidade, que provavelmente no futuró ficará descaracterizada, devido aos milhões que chamam do aeroporto.

A diferença residirá aqui, quando comparamos com Corroios, e nem é preciso deslocarmo-nos até à outra banda do Estuário do Tejo, para a fazermos. Praticamente todas as 'feiras' do concelho do Seixal (essas onde se fazem mostras económicas com aglomerados de barraquinhas repletas das mais inúmeras bujigangas à apelar ao consumo, e onde se fazem espectáculos musicais que à meia noite já estão a dar os últimos acordes, para não chatear o cidadão comum que não gosta de 'cagaçal' à sua porta mas adora ir para a porta dos outros fazer o dito cujo, mas à parte...) são feitas então no centro das respectivas freguesias, pelo menos esta boa política é comum até chegar a Corroios, onde sujeitos muito incomodados com a feira e o barulho que esta invoca a noite, promoveram uma petição para a colocar fora da vila que dá o nome a esta feira. Conclusão, o comércio local que ficava aberto até às tantas e facturava as suas melhores noites, ficou desprezado e desmantelado, pois às 21, senão mais cedo, estes estabelecimentos por falta de clientela, dão por encerrado mais um dia de labuta, tudo em prol do respeito por estes cidadãos muito sensiveis de timpano (coitadinhos!) mas que mesmo assim tem a coragem de bater o pé à sua anomalia e lá vão à feira depois do jantar, só para desmoer...

Em breve, o Corroios - Terra Nacional colocará disponivel, uma petição online para quem quiser devolver ao coração da segunda maior vila do país, aquela que é a sua 'festa' maior.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Daqui posto de comando do Movimento 31 da Armada!

«Durante a madrugada de ontem, e apesar da forte vigilância policial, elementos do 31 da Armada (Darth Vaders) subiram heroicamente até à varanda do Paços do Concelho e hastearam a bandeira azul e branca.

Há 99 anos atrás, no dia 5 de Outubro, um punhado de homens, contra a vontade da maioria dos Portugueses, tinha feito a mesmíssima coisa proclamando assim a república. O resto do país ficou a saber por telegrama.

Hoje, aproveitando as férias de verão e numa inédita acção de guerrilha ideológica, foi restaurada a legitimidade Monárquica. Podem permanecer calmos nas vossas casas: foi restaurada a Monarquia. E o país fica a saber pela internet. A acção foi devidamente filmada e o video será disponibilizado ao final da tarde.

É o contributo do 31 para as comemorações do centenário da república.»

Fonte: 31 da Armada

Gargalhei. Isto é que eu chamo ter 'cojones', enfrentar o sistema instituido, com toda a legitimidade desta causa monarquica, o que nos indica duas coisas entre muitas...1º a segurança nos paços do concelho é utopia, 2º as pessoas estão saturadas desta pseudo-democracia, o que se reflecte no desprestigio da politica e na consequente falta de adesão as urnas e votos brancos na hora de exercer esse direito civico. Por enquanto tiro o chapéu a estes monárquicos levados da breca...

domingo, 9 de agosto de 2009

Seixal: Ataca autarca com camião

Um funcionário da Câmara do Seixal atirou um camião de recolha de lixo contra a casa do presidente da autarquia depois de ficar a saber que ia ser despedido. Segundo o CM apurou, trata-se de um trabalhador de 45 anos, casado e com dois filhos, que terá estado envolvido num incidente, também com um veículo da autarquia, em Setembro de 2008.

O inquérito terminou agora e, anteontem, quando tomou conhecimento que Alfredo Monteiro assinara o despacho de exoneração, o funcionário "tomou uma atitude desesperada", contou fonte próxima do trabalhador.

Depois de descarregar o camião, dirigiu-se à casa do presidente da Câmara, nos Foros da Amora e, após bater em vários carros, atirou o veículo contra o muro da vivenda. A seguir fez marcha-atrás e arrancou, mas despistou-se e capotou metros à frente. Ninguém ficou ferido.

A Câmara nega qualquer processo contra este funcionário.

...Merecerá mesmo comentários?

Fonte: Correio da Manhã

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Zona Industrial, arrasada pela UE na Margem Sul, será espécie de nova Expo!

Hotéis de luxo, habitação e centros náuticos na actual Margueira, Quimiparque e Siderurgia. É o plano para a Margem Sul que visa cativar 17 mil novos habitantes.

O conceito de uma nova Expo, mas cinco vezes maior, será o que melhor resume o projecto do chamado Arco Ribeirinho Sul com o qual o Governo tenciona "revolucionar" o urbanismo nos concelhos de Almada, Barreiro e Seixal nos próximos 18 anos. Numa área de 920 hectares, outrora ocupada pelo poder da industrialização, vão crescer hotéis de luxo, zonas residenciais, museus e centros náuticos. O investimento ultrapassa os 400 milhões de euros e se as habituais derrapagens não apoquentarem o calendário haverá mais 17 mil residentes e 55 mil novos empregos na região. Lá para 2027.

As intervenções vão recair em 55 hectares da Margueira (Almada), 290 da Quimiparque (Barreiro) e 536 da Siderurgia Nacional (Seixal) ,sendo que o ministro do Ambiente, Nunes Correia, que apresenta hoje o projecto no Barreiro,já admitiu não estar previsto, para já, nenhum projecto emblemático. Adiantou que o plano prevê a construção de cinco mil novos fogos "de grande qualidade" na zona para procurar responder à pressão que se perspectiva para os três concelhos com a construção do aeroporto em Alcochete, da plataforma logística do Poceirão (Palmela) e da terceira travessia do Tejo, entre Chelas e Barreiro.

Nunes Correia não tem pejo em assegurar que "a verdadeira cidade portuária será no Arco Ribeirinho Sul", alertando que "é muito melhor construir escritórios e habitação em locais degradados do que destruir um montado no Alentejo para responder à pressão urbanística". O ministro do Ambiente frisou que Lisboa vai, finalmente, cumprir uma célebre frase que consta nos planos de ordenamento: "Uma cidade, duas margens."

O titular da pasta do Ambiente diz que "se há algo de emblemático para citar, é o facto de se trazer a Margem Sul para o centro das operações, com um protagonismo que até agora não tinha. Era uma zona residencial e dormitório de Lisboa, mas este projecto vai dar- -lhe uma nova centralidade", afirma Nunes Correia, ressalvando que o projecto se mede a 15 ou 20 anos, pelo que deverá sofrer ajustamentos, em função da dos ritmos de construção do futuro aeroporto ou da nova ponte.

Segundo o plano estratégico elaborado pelo grupo de trabalho constituído em Setembro de 2008, a reconversão urbanística daqueles três elementos da memória colectiva da Área Metropolitana de Lisboa torna-se mais urgente quando se conhece o abandono e a degradação a que têm sido votados, "com consequências sociais e económicas negativas também extensíveis às áreas urbanas que os envolvem", diz o documento.

O plano defende projectos de diversas naturezas e dimensões, que vão da construção de infra-estruturas de transporte às actividades ligadas ao estuário e ao mar, não só nas componentes de construção e reparação naval mas também no domínio da biologia marinha. A proximidade ao futuro aeroporto de Lisboa propicia o desenvolvimento de actividades ligadas ao sector aeronáutico.

O ambicioso plano tem prazos longos para a sua conclusão: estão previstos 18 anos para a renovação da Quimiparque, 12 e 15 para a Siderurgia Nacional e a Margueira, respectivamente.

Fonte: DN

Mais um projecto para português não ver, estilo nova Manhattan da zona Lisnave...

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Homem escapou por pouco a colisão em Vale de Milhaços!

Um golpe de sorte salvou Luís Aurélio, a mulher e a mãe de um acidente brutal. O operário da Siemens em Corroios tinha acabado de estacionar o carro perto da casa da irmã, quando ouviu um grande estrondo. Um ligeiro tinha embatido de frente com um autocarro de passageiros, matando a condutora do carro. Outra ocupante da viatura morreu depois no Hospital de Santa Maria, em Lisboa. Há ainda uma terceira vítima, ainda internada no Hospital Garcia de Orta, em Almada. A viatura entrou em despiste e enfaixou-se no Ford de Luís Aurélio.

"Por dois minutos que não morri. Eu, a minha mulher e a minha mãe estávamos a entrar na casa da minha irmã quando ouvimos um estrondo que até fez estremecer a casa. Foi só o tempo de cumprimentar a minha irmã. Voltei atrás e vi o meu carro destruído.
Não tive coragem para ver mais nada, pois percebi logo que o acidente tinha sido muito grave",
conta Luís Aurélio, ainda muito assustado com o acidente que vitimou uma senhora na casa dos 60 anos.

Ao lado de Luís Aurélio estava a sobrinha, Joana Ribeiro, estudante de Enfermagem, que tentou prestar os primeiros--socorros às três vítimas. A jovem de 21 anos deixou uma crítica: "Já houve neste cruzamento três mortes. Deveriam pôr aqui lombas ou sinalização. Até já foram feitos abaixo-assinados e nada."

Fonte: Correio da Manhã

sábado, 1 de agosto de 2009

Censura prévia e declarada ao PNR!

Hoje o presidente do PNR, José Pinto-Coelho, foi convidado pelo canal de televisão TVI24 para participar num debate sobre a decisão do Tribunal Constitucional de rejeitar o pedido de casamento entre duas lésbicas. O tema do programa, ou a pergunta que serve de mote, é "concorda com o casamento de pessoas do mesmo sexo?".

No convite, a TVI24 informava que estaria presente o advogado das fulanas, a defender o ponto de vista das próprias, e que "do outro lado" estaria o presidente do PNR, como representante do único partido político português que defende a família como célula base da comunidade e se afirma contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Quando Pinto-Coelho, que aceitou o convite, já se encontrava à porta dos estúdios da TVI, foi informado que já havia outro convidado para defender esse ponto de vista e que portanto a sua participação tinha sido... cancelada!

Esta situação, só por si, já seria grave e inadmissível, mas ao observar o dito "debate" constata-se que afinal não havia outro convidado nenhum e, mais uma vez, a única opinião permitida foi a politicamente correcta. Confirma-se, mais uma vez, que o PNR - Partido Nacional Renovador - incomoda muita gente e que é a verdadeira OPOSIÇÃO NACIONAL ao sistema - cujos partidos, nesta e noutras matérias, defendem as mesmas ideias.

Nota: recorde-se que o advogado presente no dito "debate" - "debate" porque este foi debitar as balelas habituais da pseudo-tolerância e da Constituição, etc. - já discutiu uma vez este assunto com um representante do PNR, na TV Record, e talvez não tenha gostado de ouvir umas certas verdades que têm (ou deviam!) ser ditas mas que, mais uma vez, foram excluídas (censuradas) previamente do auto-intitulado "debate".

Fonte: Terra Portuguesa

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Seixal, um concelho sem rumo!

Mais uma obra digna de preencher, esse espaço televisivo, de seu nome ' Nós por Cá', onde surgem situações algo caricatas e por vezes até no cume do surreal.
Ora essa rábula, mais uma vez tem por cenário Corroios, e os seus intervenientes os do costume, visto estarem no poleiro há tanto tempo, é natural que o seu portfólio não conheça limites...

Mais uma promessa do executivo comunista, com mais de três anos porventura, e que esteve e está em stand-by durante estes mesmos anos, uma promessa e um executivo que se ilustra na figura desse viaduto que estamos falar, um viaduto que não vai dar a lado nenhum! A obra continua por ser concluída, fora toda a propaganda do PCP local de Alfredo Monteiro, para "seixalense ver", e que reclama as acessibilidades como uma das áreas de grande investimento da autarquia.

Em contrapartida, o Município do Seixal declarou a via de utilidade pública encerrada, para efeitos de pedido de autorização de abate de 18 sobreiros. Parece anedótico uma estrada estar parada por 18 sobreiros, no entanto não nos podemos esquecer dos que já foram abatidos anteriormente, sem que qualquer autorização tivesse sido concedida.

Dizia há uns tempos o Diário de Notícias, que "a construção deste troço da variante que viria descongestionar a EN10 iniciou-se em 2005 enquanto contrapartida (obra com patrocínio) ao abrigo de um acordo entre a autarquia do Seixal e o Carrefour Portugal, que pretendia instalar um hipermercado na Quinta da Princesa (Amora). No entanto, em Abril de 2005 foi detectado o abate ilegal de cerca de 1200 sobreiros, tendo ficado essa zona interdita a construção nos próximos 25 anos."

Em 2009, continua a haver condutores "encalhados" no trânsito em Corroios em plena hora de ponta, alternativas à obsoleta EN10 não são postas em marcha por este executivo de inércia e os impostos dos municipes continuam a ser esbanjados em futilidades.

As autárquicas estão aí...e o Seixal não merece continuar como este viaduto...SEM RUMO!

Nós dizemos o que tu pensas!

O único partido em Portugal, que apesar de todo o boicote que a comunicação social lhe impõe, ousa e não tem medo de se distanciar do politicamente correcto, omitindo e denunciando as verdades e a realidade que a muita gente, fiel a este sistema vigente e apodrecido incomoda!

Pelos Portugueses, por PORTUGAL, VOTA PNR!

sábado, 18 de julho de 2009

PNR Setúbal: mais um foco nacionalista em terras Sadinas!

Hoje o Corroios - Terra Nacional, dá destaque e associa-se ao recém criado núcleo PNR Setúbal.

Este colectivo tem como objectivo a divulgação do ideal e da causa nacionalista em terras Sadinas, e também à promoção do cabeça de lista do Partido Nacional Renovador ao círculo eleitoral de Setúbal para as próximas eleições autárquicas, que se realizarão no dia 11 de Outubro: o Dr. Duarte Branquinho.

De salientar que nas últimas eleições, Setúbal foi a par de Faro, Lisboa e Santarém, o distrito onde o PNR cresceu mais, tendo redobrado os seus votos em relação às eleições de 2004, mesmo sem o mediatismo que os media nacionais, insistem em não atribuir aos partidos fora dos cinco já com assento parlamentar, numa atitude longe de ser considerada democrática!

Portugal precisa do PNR, e o PNR precisa de ti! Junta-te a nós!

Contamos contigo!

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Moinho de Maré reabre em Setembro, 9 anos depois!

O Moinho de Maré de Corroios, mandado eregir por D. Nuno Álvares Pereira e com cerca de 606 anos, vai reabrir ao público em Setembro, 9 anos volvidos e após um investimento superior a 2 milhões de Euros.

Em 2002, o lider comunista da CMS, Alfredo Monteiro, ao seu jeito habitual havia dito estar convicto que o Moinho de Maré de Corroios, iria abrir portas ainda esse ano, ao que o seu então homónimo(mas não menos demagógico) presidente da Junta de Freguesia de Corroios, Brázio Romeiro, reforçou com a 'certeza de uma rápida recuperação deste património'!

Em 2003, pelas comemorações dos 600 anos deste património histórico, Alfredo Monteiro decide lançar mais uma das suas pérolas habituais, desta vez no seu pasquim de propaganda(aka Boletim do Seixal) afirmando 'Reabrir o Moinho de Maré ao público em 2004, visto estar na fase final de recuperação, uma obra que representa um elevado investimento, superior a um milhão e meio de euros'.

Ora o certo e sabido, é que aquela área esteve interdita aos cidadãos, como se de animais se tratassem, escorraçando-os dum local público que não sofreu qualquer intervenção e que talvez resolva o mistério da colocação de um gradeamento em aço, durante meia década!
Saúda-se apesar de todos estes já 'naturais' e nefastos contratempos e derrapagens financeiras por parte do executivo comunista, o regresso ao 'convivio' populacional do Moinho de Maré de Corroios, o grande ex-libris desta freguesia e que durante séculos foi literalmente, o "pão para a boca" das populações locais.

No entanto, há qe salientar que a zona circundante a este precioso património continua degradada, poluída e continua a não haver por parte dos autarcas locais, quer da JF Corroios, quer da CM Seixal um plano de requalificação urbanistica para aquela que será porventura a zona com mais potencial nas áreas turistica/lazer/cultura.

Coincidentemente a abertura do Moinho de Maré, numa jogada de caça ao voto, será pouco antes das autárquicas de Outubro...Claramente, esta pandilha vermelha de Alfredo Monteiro & Lda tem tanto de previsivel como de mentirosa!! Lá manhosos são eles...

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Nick Griffin denúncia no Parlamento Europeu, ameaça bélica!

"Sr. Presidente, eu servi como monitor nas comemorações da revolução de 1956 em Budapeste o ano passado e eu posso confirmar que o doutor Morvey tem o legitimo direito para criticar aqueles que condenam o Irão, mas que ignoram os abusos aos direitos humanos aqui na Europa.

Eu acredito que nenhum dos membros, se o ECRG(Grupo dos Conservadores e Reformistas Europeus) aqui não for hipocrita o suficiente, condenará o Irão pelo o uso da violência nas eleições quando David Cameron está entre os patrocinadores da UAF(United Against Fascism), uma organização de criminosos de extrema-esquerda que rotineiramente apregoa a intimidação e a violência contra os dissidentes nacionalistas na Grã-Bretanha. O mesmo se aplica aos partidos Labour, o Lib Dem e o Tory MEPs, marcados pela vergonha de usar os impostos britânicos - dinheiro dos contribuintes para suportar as suas próprias milícias, que visam impedir reuniões da oposição e atacar os seus opositores com tijolos, dardos e martelos.

Mas o meu ponto de vista principal é este, por muito que as criticas sobre o Irão feitas aqui, possam ser bem intencionadas e justificadas, elas vão ser exploradas como propaganda de guerra por interesses poderosos, camuflados que aguardam para beneficiar de um ataque militar nesse país. Neoconservadores, companhias petrolíferas, empresas de construcção civil e o lobby Wahaby na Arábia Saudita, todos estes pretendem ver o estado soberano do Irão, arrasado por uma guerra agressiva. Nem mesmo os liberais europeus são ingénuos o suficiente ao ponto de cair outra vez em mentiras sobre armas da destruição maciça, desta forma os direitos humanos estão a ser tomados, como um novo Casus Belli.

Não somem a voz deste parlmento, ao coro dos apeladores da guerra para uma terceira vaga ilegal de ataque productivo, pelo Ocidente ao mundo muçulmano, deixem-se de guerras cuja vossa hipocrita retórica apenas tenta justificar e lançar para a guerra a habitual, bravíssima diga-se, carne para canhão Britânica, rapazes de apenas 18 anos de Mersey, de Thames e de Tyne. Em vez disso, mandem os vossos próprios filhos para voltarem para casa em caixões ou sem as pernas, braços ou sanidade mental, ou metam-se na vossa vida! Obrigado"

Nick Griffin, líder do BNP (Partido Nacional Britânico)

Seixal: AM reivindica mais valências para o futuro hospital

A Assembleia Municipal do Seixal (AM) reivindica, unanimemente, mais valências para o futuro hospital do concelho por não concordar com o despacho da ministra da saúde quanto ao perfil assistencial da unidade hospitalar. Um despacho do dia 15 de Junho, publicado em Diário da República, pela ministra da Saúde, Ana Jorge, assegura que os cerca de 550 mil habitantes de Almada, Seixal e Sesimbra irão ter à disposição «um serviço de urgência básica» no futuro hospital do Seixal.

Esta decisão ficou aquém das expectativas do município que juntamente com as populações, desde 2006, lutam no sentido de reivindicarem um hospital dotado de urgências e camas para internamento.

Deste modo, a AM em reunião extraordinária na noite de segunda-feira deliberou voltar a solicitar, «com carácter de urgência, ao Governo, através do Ministério da Saúde, toda a documentação em que fundamentou a sua decisão sobre o Perfil Assistencial e dimensionamento do Hospital no Seixal».

Fonte: Diário Digital

Nesta situação, o Corroios - Terra Nacional não poderia deixar de se solidarizar com a decisão da Assembleia Municipal, uma causa nobre e de máxima importância/urgência. Em vésperas(esperemos que não) de uma pandemia a larga escala no nosso País, os concelhos do Seixal, Sesimbra e Almada apenas tem ao serviço e ao dispor dos seus 550 mil habitantes, o Hospital Garcia de Orta, sobrelotadissimo, já sem condições para socorrer no imediato a todas as necessidades destas populações. Como se pode pensar neste país em obras faraónicas, como TGV's, aeroportos e tudo o que demais não interessa para resolver uma crise, quando um Hospital, um simples Hospital é necessário, essencial e básico para suprir lacunas locais e evitar que essa crise se assentue.

Volta-se a colocar esta questão, este país será viável?

terça-feira, 14 de julho de 2009

PNR: Mensagem do Presidente aos Nacionalistas!

Num país cuja mentalidade dominante e reinante põe tudo de pernas para o ar, já se sabe que nele a falsidade impera e a realidade das coisas é invertida.(...) É neste contexto que verificamos a gradual substituição de uma série de termos do nosso vocabulário corrente, onde numa lista infindável, por exemplo, preto passa a pessoa de cor, delinquente a jovem, drogado a toxicodependente…O problema que aqui reside é que não se trata apenas de simples forma de expressão ingénua, mas sim de uma estratégia intencional onde esta questão, aparentemente inócua e ingénua, na verdade faz parte de um todo que visa inverter as mentalidades, manipulando-as e mais facilmente as dominar.
(...)
É precisamente isto que se passa na nossa sociedade: a opinião maciçamente publicada passa a ser confundida com opinião pública. Esta por sua vez sente-se refém da opinião veiculada e só os mais lúcidos ou corajosos é que ousam ir em contra corrente e denunciar que está tudo de pernas para o ar.
Assim, nesse contexto, os polícias, defensores da ordem, passam a ser vistos aos olhos dos incautos (já devidamente narcotizados pela propaganda) como os agressores gratuitos e por outro lado os criminosos como uns desgraçadinhos, vítimas de uma sociedade que não os compreende…
(...)
Basta referir que ainda ontem, uma patrulha policial entrou no Bairro da Quinta Fonte (apresentado como pacificado pela propaganda oficial do governo) em perseguição a uns assaltantes (que já se sabe que não têm culpa, pois são “vítimas” de um sistema opressor e da “brutalidade policial”) e foi “naturalmente” recebida à pedrada e garrafada.
(...)
Para os Nacionalistas a defesa da ordem é uma prioridade; a segurança é algo inquestionável! Para tal, o PNR defende inequívoca e efectivamente a polícia.
Como podemos nós tolerar que o Estado ande a sustentar, com o nosso dinheiro, através de toda a sorte de subsídios e apoios, estes invasores que nos desrespeitam e aos quais ainda por cima têm o desplante de atribuir a “nacionalidade” portuguesa? (...)
Assim, ao invés de desculpabilizar-se os delinquentes, pagar-lhes subsídios e dar-lhes a nacionalidade portuguesa, factos que consideramos um grave atentado aos portugueses e a Portugal, inversamente, defendemos a sua punição penal, o repatriamento, a extinção do reagrupamento familiar, o corte radical e imediato dos seus subsídios e a alteração da lei da nacionalidade. Por outro lado, em relação aos polícias o que se verifica é que estes são desautorizados e mal tratados na opinião feita pública. Verifica-se que têm perdido sistematicamente direitos adquiridos e regalias mais do que justas. Verifica-se que a sua idade de reforma é aumentada e não se tem em conta que se trata de uma profissão de desgaste, devido ao trabalho por turnos e de risco.
(...)
O PNR solidariza-se assim com os polícias que têm sido mortos ou feridos em serviço e com as suas famílias. O PNR solidariza-se com a sua luta e justas reivindicações.
Com o PNR as coisas voltariam à sua correcta posição!


José Pinto Coelho, 14 de Julho de 2009
Fonte: www.pnr.pt

sábado, 11 de julho de 2009

Novo Partido da Liberdade entrega inscrição!

A comissão instaladora do Partido da Liberdade (PL) entregou no Tribunal Constitucional o requerimento de inscrição desta nova força política, que tem sede em Aveiro.

Segundo Susana Barbosa, primeira signatária do PL, trata-se de um partido de direita cujos "pilares" são o "nacionalismo" e o "municipalismo".

"O PL pretende preencher um vazio político e ideológico existente em Portugal e surge com a missão de devolver aos portugueses a importância dos valores da família e da vida, do trabalho, do mérito e do reconhecimento, da defesa e elevação da agricultura portuguesa, do comércio português e da indústria portuguesa, da salvaguarda das raízes nacionais, da sua cultura, do seu património, da sua história, e da protecção do ambiente e da sustentabilidade de tudo o que é natural à própria vida", explica.

Seixal: O Município Português, que celebra a independência de Cabo Verde!

"O Seixal, onde reside a maior comunidade cabo-verdiana do País, acolheu nos dias 4 e 5 de Julho as comemorações do 34º aniversário da independência de Cabo Verde, pela primeira vez assinalado fora do território cabo-verdiano, numa iniciativa que contou com a presença do primeiro-ministro José Maria Pereira das Neves.
(...)O primeiro-ministro de Cabo Verde salientou «o grande orgulho em estar no Município do Seixal, 5 de Julho é o Dia Nacional de Cabo Verde e viemos a esta ilha de Cabo Verde comemorar os 34 anos da nossa independência. Para nós, Cabo Verde são as 10 ilhas no Atlântico e todos os locais onde residem cabo-verdianos. Temos de agradecer ao Municipío do Seixal o apoio exemplar que tem dado à comunidade cabo-verdiana para a sua inserção social e profissional. Os cabo-verdianos estão em todas as áreas(música, desporto, educação) e são uma referência para as novas gerações».

(...)Alfredo Monteiro referiu ser «um enorme gosto estar na Quinta da Princesa, no dia em que assinalam os 34 anos da independência de Cabo Verde, cujas comemorações têm lugar no Seixal, Municipío onde a comunidade cabo-verdiana está inserida e tem um importante papel na vida municipal. No Concelho temos laços muito fortes com Cabo Verde, a primeira geminação do Municipío foi com a ilha da Boavista, há 20 anos.

A festa dos Povos-Tabanka é um sinal da integração da comunidade cabo-verdiana no Municipío. Iremos continuar o trabalho conjunto com a comunidade e a Associação de Cabo Verde a construir uma terra onde lusofonia está representada por todas as comunidades que aqui residem."
inBoletim Municipal Seixal(o pasquim de propaganda do executivo vermelho)

Ora o Seixal teima em ser pioneiro no País pelos piores motivos, para lá das cerimónias oficiosas cheias de pompa e circunstância com estes chefes de estado que ninguém conhece(mas sempre prontos a puxar sorrateiramente uns cordelinhos à introdução de empresas dos seus países de origem, no nosso), está então um Municipío com problemas de ordem social, ambiental, planeamento urbano, entre muitos outros que o Corroios - Terra Nacional tem vindo a denúnciar, e assim continuará a fazê-lo para que a culpa não morra solteira nesta região onde a mentira comunista, todos os dias conhece novos contornos e facetas.

Quiçá um dia possamos ver o Seixal como a capital dessa grande nação de Cabo Verde, visto já ser uma ilha desse arquipélago, e onde paradisiacamente a comunidade cabo-verdiana tem apoio garantido de Alfredo Monteiro & Lda. no que toca a sectores profissionais e sociais e onde inclusivé já se comemora o Dia da Independência, desses terriveis e hediondos 'tugas' que tanto os oprimiram e massacraram. Um 10 de Junho, um 1º de Dezembro para alguém que esteja no poleiro da CMS não passa de um dia de repouso, igual a tantos outros 363 dias do ano, já o 5 de Julho Cabo Verdiano, esse sim, é o Dia da Nação Seixalense, de todo esse povo cabo-verdiano, dessa mais recente ilha Atlântica cabo-verdiana, o SEIXAL!.......DESPERTA SEIXAL!!!!

Pela reposição da verdade sobre o Tejo, a Ponte Salazar!

A verdade Histórica deve ser em qualquer situação, grande preocupação de qualquer povo.

A omissão de factos, incoerências, desvios à verdade, esquecimentos a prazo, receios ou vergonha da sua História, no caso concreto, do nosso povo, que somos nós e os que antes de nós fizeram História, torna-nos superficiais, descaracteriza-nos como entidade cultural e acima de tudo faz-nos cúmplices da mentira.

É neste contexto, que, indignado pelo tratamento continuado de parte importante do que somos hoje como nação, e para que a reposição da justiça seja efectiva, cabe a nós, cidadãos, utilizando o direito à indignação, e acima de tudo não colaborar mais com a hipocrisia, denunciar, e por todos os meios, rectificar mal entendidos ou actos cometidos no calor da agitação, própria, dos momentos de fraqueza da nossa História.

Como tal, o Corroios - Terra Nacional, junta-se a esta nobre causa pela reposição da verdade histórica, à Ponte sobre o Tejo, hoje designada por Ponte 25 de Abril. Ao ser inaugurada em 6 de Agosto de 1966, havia recebido o nome de “PONTE SALAZAR”!

Abaixo deixamos os links para esta petição:
Petição.com.pt/Salazar
OliveiraSalazar.org/abaixoassinado

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Terminadas buscas do jovem desaparecido no Tejo, sem sucesso!

As operações de busca, iniciadas domingo ao final da tarde e interrompidas durante a noite para encontrar o jovem de 22 anos desaparecido por volta das 18h45, foram retomadas por volta das 07h20 de segunda-feira. As mesmas foram dadas por finalizadas um dia depois sem ser encontrada a vítima.

De referir que ontem à noite, foi encontrado um corpo a boiar junto ao Cais Ferro-Fluvial do Barreiro, ainda que não tenha sido identificado o sexo da vítima.

Fonte: Jornal do Barreiro

Câmara do Seixal: «Acidente com MST podia ter sido evitado!»

O acidente de quarta-feira com o Metro Sul do Tejo (MST), que provocou um morto e um ferido, «podia ter sido evitado se as entidades envolvidas tivessem assumido as suas responsabilidades», refere o vereador para a área das acessibilidades da Câmara do Seixal, Joaquim Santos.

«Existe uma total descoordenação entre a Metro Transportes do Sul, gestora do MST, a Transportes Sul do Tejo (TST), a Estradas de Portugal (EP) e o Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT)», denuncia o responsável autárquico, citado pela Lusa.
«Ninguém se considera responsável pela falta de segurança nas duas paragens de transportes públicos», lamenta, sublinhando que «a autarquia se sente indignada com a falta de reacção aos alertas que tem vindo, há anos, a fazer».

Segundo o vereador «quando se construiu o metro as paragens e as passadeiras da avenida foram eliminadas».
Além disso, «existe o problema de uma pessoa que vai de autocarro e pretende sair na Avenida ter que fazê-lo numa altura em que o metro não passe ou é atropelada, porque tem pouco mais de 50 centímetros de espaço no passeio».

Joaquim Santos garante que «estes problemas foram denunciados em diversas reuniões e foram apresentados projectos no sentido de resolvê-los».
Por seu lado, a Metro Transportes do Sul e a EP afirmam, ouvidas pela Lusa, desconhecer os esforços da autarquia.
Já a TST esclarece que «na qualidade de operador de transporte, não dispõe de quaisquer competências ao nível das infra-estruturas rodoviárias».

Recorde-se que um casal de idosos foi quarta-feira colhido por uma carruagem do Metro Sul do Tejo que circulava no sentido Almada/Corroios. O homem faleceu e a mulher, de 75 anos, encontra-se ainda internada do Hospital Garcia de Orta, em Almada.

Fonte: IOL Diário

A pergunta que se coloca de facto é, onde param então esses esforços da autarquia comunista para impedir que infelizes episódios como este sucedam!? Sacudir a água do capote é fácil...A INCOMPETÊNCIA É ENORME!!!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Acidente no Metro Sul do Tejo em Corroios, fez um morto

Um casal de idosos foi colhido numa das linhas do Metro Sul do Tejo, em Corroios, por volta das 13:30. Do acidente resultou um morto e um ferido.
O acidente provocou a morte do homem e causou ferimentos graves na mulher, que foi transportada para o Hospital Garcia de Orta, em Almada, disse fonte da Metro Sul do Tejo à Agência Lusa.

Segundo a PSP do Seixal, as duas vítimas "não transgrediram nenhuma regra porque não existe nenhuma passadeira naquela zona".
"Não existe nenhum local identificado para a travessia de peões na Avenida 25 de Abril, em Corroios, local onde se deu o acidente desta tarde", explicou a PSP.
"A via de carril onde circula o MST não tem qualquer tipo de gradeamento", acrescentou.

De acordo com declarações dos Bombeiros Voluntários do Seixal (BVS) e da PSP, as duas vítimas atravessavam a zona da linha do comboio depois de um almoço na associação dos reformados de Corroios.
Contactada pela agência Lusa, a Metro Transportes do Sul, empresa gestora do MST, esclareceu que a empresa já nomeou uma comissão interna de inquérito para avaliar as circunstâncias em que se deu o acidente. "O resultado será dado a conhecer brevemente", avançou.
O acidente condicionou a circulação de três linhas, mas a situação já foi restabelecida.
De acordo com os registos do Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal (CDOSS), desde a entrada em vigor do primeiro troço do metro registaram-se, até ao final do mês de Maio deste ano, três feridos graves.
Dos 11 acidentes registados pelo CDOSS, seis foram atropelamentos e cinco abalroamentos de veículos ligeiros por parte do metro. Os acidentes fizeram 12 vítimas, a maioria sem gravidade.

Fonte: Jornal de Notícias
Audio: TSF

terça-feira, 7 de julho de 2009

Buscas por jovem desaparecido alargadas a todo o Estuário do Tejo

As buscas pelo jovem que desapareceu no Rio Tejo, perto da Ponta dos Corvos (Corroios), no Seixal, cerca das 18:45 de domingo, vão ser alargadas a todo o estuário na terça-feira, revelou a Polícia Marítima à agência Lusa.

"Vamos alargar a área de procura porque, dado o tempo que já passou, o corpo pode ter sido arrastado para outras zonas", indicou a mesma fonte, acrescentando que as buscas serão interrompidas hoje, ao pôr-do-Sol, e retomadas terça-feira de manhã.
Durante a tarde de hoje, equipas de mergulho dos Bombeiros Voluntários do Seixal procuraram sem sucesso o corpo do jovem de 22 anos, que desapareceu no Rio quando estava a nadar com um amigo.

Em terra, junto ao local do desaparecimento, estiveram também, durante o dia de hoje, duas equipas da Polícia Marítima.
Na operação, coordenada pela Polícia Marítima e pelos Bombeiros Voluntários do Seixal, estão envolvidos um helicóptero da Força Aérea, dois botes e uma mota de água dos bombeiros, duas lanchas da política marítima e uma do Instituto de Socorros a Náufragos.

Fonte: Diário de Notícias

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Tributo à figura do século XX de Corroios

Hoje o Corroios - Terra Nacional, decidiu prestar homenagem a um grande homem, de carácter pecúliar e já raro nos dias que correm, uma figura inesquecivel da freguesia de Corroios e um dos grandes obreiros desta localidade que ambiciona no presente ser a cidade do futuro.

Fala-se obviamente de António Marques Pequeno, o grande benemérito de Corroios no séc. XX, um homem de posses, culto mas que não se coíbiu na hora de prestar auxilio à sua comunidade, concedendo alguns dos seus bens e vastos terrenos para a construcção de obras tão importantes na freguesia à época, como a Casa do Povo de Corroios, a Cantina Escolar, a Escola Primária nº1 de Corroios e o Depósito de Água de São Nicolau.

Prestou desta forma um contributo sem paralelo à sua comunidade, aos seus contemporâneos, aos seus conterrâneos que até então estavam desprovidos destas importantes infraestruturas, tão essenciais e básicos para o desenvolvimento de uma povoação.
Actualmente o Ginásio Clube de Corroios faz-lhe uma simbólica homenagem, atribuindo ao estádio o mesmo nome do benemérito, o Estádio António Marques Pequeno. Aqui fica então a breve homenagem, mas não menos sentida por parte do Corroios - Terra Nacional a alguém que pelos conceitos de cidadania e solidariedade deu tudo o que pode em prol da sua terra, e a mais não era obrigado............ Obrigado nós!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Antiaérea de Corroios - Ruínas, ruínas e mais ruínas

Enquanto decorreu o conflito da Segunda Guerra Mundial, em que grande parte dos países europeus estiveram envolvidos, Portugal manteve-se neutro e, consequentemente, fora dos confrontos directos. Apesar disto no principio dos anos 40, quando o palco de guerra parecia continuar a alastrar, em Portugal, por questões de segurança, elaborou-se um plano para a defesa antiaérea de Lisboa.

O Comando Geral, regimento que superintendia toda a operação, encontrava-se em Queluz, sendo composto por quatro grupos dispostos em anel na periferia da capital. Na Margem Sul existia então o 4º Grupo Misto de Antiaérea, com comando em Corroios e baterias nos Foros de Amora, Torre da Marinha, Santo António da Charneca, Moita, Samouco e Alcochete. Em cada bateria, existiam normalmente montadas quatro peças de fogo semifixas, de calibre 9,4 cm, que visavam atingir especialmente grandes aviões bombardeiros. Paralelamente a estas, encontravam-se peças de fogo de 4 cm e metralhadoras pesadas, que defendiam também ataques ao solo feitos por caças.

Dirigindo um conjunto de seis baterias, esteve sediado durante cerca de uma década em Corroios, 1942-1952, o comando do 4º Grupo Misto da Defesa Antiaérea de Lisboa. Situado nas dependências da Quinta do Castelo, possuía uma guarnição de cerca de 40 homens, comandados superiormente por um oficial com a patente de major. Nas outroras instalações agricolas da quinta, existia nesta data uma central de transmissões (rádios e telefone) afecta ao comando, uma arrecadação de material de guerra, parque auto e respectiva oficina mecânica, uma pequena enfermaria, uma cozinha, as respectivas messes de oficiais e sargentos e a caserna dormitório dos praças.

Ainda hoje muitos dos antigos residentes de Corroios se recordam de ouvir tocar a alvorada e o recolher pelo clarim, assim como das saídas em pelotão que os militares faziam, marchando pelas ruas da povoação. Hoje, deste importante e estratégico ponto de defesa da capital de Portugal, restam apenas ruínas, entulho, estruturas muito débeis e povoadas por sem abrigo e traficantes de droga. Aos olhos de quem passa, a imagem de uns edificios velhos e em ruínas, são o que Corroios tem para oferecer primariamente, a vila do presente que se diz cidade do futuro mas que não sabe reaproveitar, restaurar e respeitar as obras e memórias do passado. A inércia de um executivo mentiroso como é o da CDU no Seixal, que a única obra que mostra é o tipico engalanar de espaços verdes no período pré-eleitoral, CORROIOS MERECE MELHOR!!

sábado, 27 de junho de 2009

Corroios - Mulher sequestrada quando estacionava o carro

Uma mulher de 31 anos foi sequestrada por dois ladrões durante duas horas. A vítima foi atacada quando estacionava o carro na garagem de casa, em Corroios, Seixal, vindo a ser abandonada quando os assaltantes se depararam com uma viatura policial.
Os ladrões, armados com uma faca e uma pistola, introduziram-se na garagem do prédio da vítima. Pelas 02h00, a mulher entrou de carro e foi sequestrada. Colocada no banco de trás da viatura, andou por ruas do Seixal e Almada.
Pelo caminho, a viatura roubada (Seat Ibiza) esteve envolvida num acidente, o que não serviu para abrandar os ladrões. A mulher foi coagida a entregar o cartão multibanco, e respectivo código, tendo a dupla levantado 400 euros.
Depois das 04h00, mais de duas horas após o sequestro, uma viatura da PSP atravessou-se no caminho do Seat Ibiza, o que levou os assaltantes a encostar e fugir a pé.

A PSP do Pragal socorreu a vítima.

Fonte: Correio da Manhã

Hotel do Muxito - De complexo de Luxo a complexo de Lixo!

Estávamos em meados dos anos 60, entre Corroios e a Cruz de Pau, no meio de uma intensa mata paralela à Estrada Real (EN10), aí onde pautava pelo luxo, comodidade e tranquilidade um Hotel único em Portugal...o Hotel do Muxito! Construído em 1956, e com uma arquitectura de carácter inovador, este complexo turistico possuía um Hotel, a 1ª piscina olímpica do país, moradias e apartamentos de aluguer. Com o 25 de Abril de 1974, começou o declinio daquele que era considerado um dos melhores hotéis do país...

No dia 7 de Março de 1975, um grupo de elementos da extrema-esquerda da FSP e da LUAR, decidiu ocupar à força o hotel do Muxito, para aí instalar um campo de treino terrorista contra os moderados de direita. Durante algum tempo, o Muxito foi considerado a base das forças esquerdistas e era lá que se treinavam os tiros e o uso das armas, e onde se propiciava o tráfico destas últimas. Com o 25 de Novembro de 1975, estes desordeiros de extrema esquerda viram-se na obrigação de abandonar à pressa o complexo, com a ameaça iminente de conflito com o 'Grupo dos 9', e assim continua o Hotel...abandonado!

"O projecto para o Muxito e todo aquele conjunto que tem a pista de atletismo e a área que já é municipal, junto à estação de Foros da Amora, é fazer um grande espaço de lazer com um complexo de atletismo que irá crescer em termos de equipamento. É uma área de lazer para onde se prevê, também, equipamentos turísticos. Com investimento privado ou com investimento municipal, vamos dotar o Muxito de condições para que venha a ser o grande pulmão e a grande área de lazer deste concelho. O projecto não pode avançar porque, tendo a proprietária do terreno falecido, o processo está com os herdeiros. Mas a Câmara está atenta e pretende avançar com este objectivo assim que o caso se resolver." Numa entrevista dada ao 'Setúbal na Rede' em 2001, o Sr. Presidente da Câmara Municipal do Seixal, o comunista Alfredo Monteiro, questionado acerca de qual a planificação para a área do Muxito foi pronto a responder. Desde a época dessa entrevista já estão volvidos quase 8 anos e o Muxito mantem-se exactamente igual ao de hoje. A obra tarda em aparecer, visto ter uma comparticipação de orçamento comunitário de 75% e tendo em conta este dado é impossivel não questionar: de que espera o executivo comunista para avançar com a obra? A esta segue-se outra: onde está o trabalho em prol do Muxito para que este se torne “o grande pulmão e a grande área de lazer” do concelho do Seixal? Mais uma MENTIRA em tons de vermelho, tipicamente à Alfredo Monteiro!!

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Universidade Lusíada - A lição de Democracia!

A Comunicação Social falhou nas eleições de 2009? Esta quarta feira a Universidade, com uma plateia muito interessada, assistiu a uma lição de Democracia Política , resultante de uma iniciativa original dos Partidos Portugueses, juntos para a reflexão de um tema fundamental:

O Deficit de representação na comunicação social dos partidos menos conhecidos. O caso das eleições europeias de 2009. Uma constante na vida política portuguesa.

Uma Conferência muito participada, que reuniu, na Universidade Lusíada de Lisboa, Humberto Nuno de Oliveira ( PNR ), Pedro Quartim Graça ( MPT ), Orlando Alves ( PCTP / MRPP ), Frederico Duarte Carvalho ( PPM ), Carmelinda Pereira ( POUS / RUE ), e Manuela Magno ( do Partido Respublica e Cidadania, em fase de legalização, e que, a 7 de Junho, foi a sufrágio como cabeça de lista pelo Partido Humanista ).

O encontro decorreu na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Auditório Embaizador I, daquela Universidade, com uma participação de grande nível, pecando pelo reduzido número de representantes da Comunicação Social, tal como, aliás, a organização da Conferência já previa. O MEP e o MMS tambem não se fizeram representar.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Universidade Lusiada - Conferência com a participação do PNR

A comunicação social, contrariando o que está estipulado na lei eleitoral e as directivas expressas da Comissão Nacional de Eleições, trata de forma gravemente discriminatória os partidos políticos fora do arco do poder. Os cinco partidos com assento parlamentar são apresentados aos portugueses como sendo os únicos. Os demais são votados ao esquecimento.
Se a maioria dos portugueses tem razões de peso para se sentir divorciada da política e devido ao péssimo exemplo que os políticos, na generalidade, proporcionam, é igualmente verdade que ignora por completo, por exemplo,a existência do PNR e das suas causas.
A crescente abstenção é o sinal mais visível do desencanto e desinteresse dos portugueses pela política, e ela acaba por ser irrelevante para os partidos instalados, já que, sendo os únicos visíveis e conhecidos, acabam sempre por ter representação com a maior ou menor participação das pessoas.


A esse propósito, a Universidade Lusíada, realiza nesta 4ª feira, dia 24 de Junho, pelas 18.00 horas, nas suas instalações, uma conferência sobre a desigualdade de tratamento dada pela comunicação social às várias forças políticas.
O PNR estará representado pelo Cabeça de Lista às passadas Eleições Europeias, Humberto Nuno de Oliveira.

sábado, 20 de junho de 2009

Sapal de Corroios - A vergonha

A vergonha está instalada no Sapal de Corroios. A destruição deste já começou, continua e difcilmente parará, graças à mentira, incompetência e ganância do executivo comunista que em parceria com o PS votou a favor da instalação da piscicultura numa das mais importantes, se não mesmo a mais importante Reserva Ecológica Nacional do Estuário do Tejo.

Enquanto em 2001, após a obra embargada e a destruição já sem retorno, o presidente do executivo comunista de então(curiosamente o que se mantém no cargo até agora...), Alfredo Monteiro, veio a público na televisão afirmando que o parecer da Câmara do Seixal era da não eliminação do Sapal, questionando o estudo de impacto ambiental que até hoje ainda não foi elaborado, este mesmo autarca que dá alvará à piscicultura pondo em risco uma série de espécies que se vem obrigadas a migrar para outros locais, entre eles o flamingo, símbolo desta vila.

É uma vergonha dar aval à destruição de um património ambiental do país, ainda para mais quando é já um oásis no meio de toda a selva urbana circundante, sinónimo da ganância desenfreada dos politicos pelo betão, preterindo o património natural, esse mesmo que valoriza uma vila como Corroios, que inevitavelmente está ligada historicamente ao Sapal, e traz visitantes de toda a parte. Haja interesses pelo meio e...Como eles mudam!!

sexta-feira, 12 de junho de 2009

10 Junho - PNR celebra o Dia de Portugal nos Restauradores


Dezenas de pessoas desfilaram esta tarde na manifestação comemorativa do Dia de Portugal promovida pelo Partido Nacional Renovador (PNR) que, disse o seu líder, José Pinto Coelho, está já em campanha para as legislativas.

Poucos, mas ruidosos. Não chegavam a ser uma centena os militantes e simpatizantes do PNR que esta tarde desfilaram do Largo Camões até à Praça dos Restauradores, em Lisboa, para celebrar o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Gritando palavras de ordem, iam chamando a atenção de quem passava na zona do Rossio e do Chiado e dos muitos turistas que aproveitavam o sol de final de tarde nas esplanadas, e que, apanhados de surpresa, olhavam espantados os manifestantes que desciam a rua.

'Mais uma vez o PNR sai à rua. É o único partido político em Portugal que vem celebrar o dia da nossa nação. Não há dúvida que os outros partidos fazem tábua rasa da nossa nação e só querem falar de Portugal ou dos portugueses para pedir votos', disse aos jornalistas o presidente do PNR, José Pinto Coelho.

Mais do que uma oportunidade de mais uma vez evocar o nacionalismo, o patriotismo e outros valores defendidos pelo partido, o PNR estava na rua já em campanha para as eleições de Setembro.

'Estamos desde já em campanha para as legislativas', afirmou Pinto Coelho, acrescentando que o seu partido conseguiu nas eleições europeias de domingo uma subida de 60 por cento nos votos, quando comparado com os resultados das europeias em 2004.
Num comentário às palavras do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, esta manhã, no discurso evocativo do Dia de Por tugal, que afirmou que a elevada abstenção verificada nas eleições europeias 'empobrece a democracia', José Pinto Coelho defendeu que não são os 'partidos instalados' que saem prejudicados pelos baixos níveis de comparência às urnas.

'Quem sai prejudicado não são os partidos instalados, porque esses estão sempre garantidos. Mesmo que haja uma grande abstenção, são os únicos que são apresentados aos portugueses, que não conhecem os outros partidos e não querem conhecer. Para os portugueses - andamos na rua e verificamos isso - todos os partidos são maus. Paga o justo pelo pecador', considerou o líder do PNR.

José Pinto Coelho deixou também uma ideia para contrariar a tendência crescente da abstenção.

'Advogamos que para incentivar ao voto devia alterar-se a lei eleitoral, deixando o dia de eleições de ser ao domingo e passando a ser, como em Inglaterra, a um dia de semana. Quem vá comprovadamente votar, com um atestado passado pelas juntas de freguesia, ficaria isento de meio-dia de trabalho recebendo na mesma o ordenado', propôs Pinto Coelho.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Celebrar o 10 de Junho, Dia de PORTUGAL

Para o Presidente do PNR, José Pinto-Coelho, "o facto do PNR ser o único partido português que organiza uma manifestação patriótica, no Dia de Portugal, é sintomático da forma como os partidos do sistema tratam não só o nosso país mas o nosso povo, do qual apenas se lembram para pedir votos".

"Quando há eleições, todos eles aparecem a fazer apelos cínicos e hipócritas aos portugueses, mas só o PNR se preocupa verdadeiramente não só com o nosso passado, mas também com o presente e, sobretudo, com o futuro de Portugal e dos Portugueses", afirma Pinto-Coelho.

No dia 10 de Junho, novamente, o PNR irá então celebrar o Dia de Portugal, com uma manifestação em Lisboa.

16.00 horas Concentração no Largo de Camões.
16.30 horas Desfile até à Praça dos Restauradores.
17.30 horas Discursos (na Praça dos Restauradores).

O PNR conta com a tua mobilização!